Conheça os tipos de anestesia usados no consultório

Os tipos de anestesia aplicados devem variar conforme o procedimento e perfil do paciente

 

Se chegou até este artigo, provavelmente terá um procedimento a ser feito no dentista em breve e quer entender melhor como as anestesias são escolhidas e até mesmo qual será utilizada no seu caso. 

É importante esclarecer que existem uma série de variáveis que influenciam na escolha do tipo de anestesia que será utilizado, portanto esta matéria servirá apenas como uma base para que você compreenda mais sobre o tema. 

 

Quais são os tipos de anestesia?

Existem essencialmente dois principais tipos de anestesia, a local e a geral. 

A anestesia local, como diz o nome, irá adormecer somente a região em que o procedimento será feito. É muito utilizada para extração de dentes, procedimentos dermatológicos estéticos e ambulatoriais. 

Já a anestesia geral é aplicada para procedimentos extensos e complexos como cirurgias gerais, transplantes e etc. Em situações específicas elas podem ser aplicadas por dentistas, mas exigem uma maior infraestrutura de monitoramento, com a necessidade de que o procedimento seja feito em sala cirúrgica, com suporte profissional de outras áreas. 

 

Quais os anestésicos mais usados em consultórios odontológicos?

Mepivacaína: O efeito começa após um ou dois minutos. Esta anestesia é utilizada em procedimentos com duração intermediária, tem toxicidade e potência 2 vezes maior do que a lidocaína, anestésico mais comum nos consultórios.

Lidocaína: A ação leva até 3 minutos para iniciar. É considerado o anestésico mais recomendado para gestantes e também utilizado para procedimentos de média duração. 

Articaína: A Articaína começa a ter efeito sedativo 2 minutos após a aplicação. É muito utilizada em procedimentos de longa duração e é contraindicada para gestantes pois pode prejudicar a saúde da mãe e do bebê.

Bupivacaína: É o anestésico com a duração mais longa de todos os apresentados nesta lista. Leva de 5 a 8 minutos para começar a surtir efeito e possui potência 4 vezes maior do que a lidocaína. 

Prilocaína: Possui as mesmas substâncias da Articaína e deve ser evitada por gestantes, diabéticos, pessoas com ansiedade e ou com hipotireoidismo.

 

Além destas, existem também anestesias inalatórias e em comprimido, porém possuem pouca utilização no consultório odontológico. Independente do tipo de anestésico definido para o seu procedimento, fique tranquilo. Os profissionais escolherão a melhor alternativa para você. Aproveite para esclarecer todas as dúvidas antes da data agendada e permaneça tranquilo.